Notícias

Cenário Imobiliário: é hora de comprar?

Em relação há alguns anos, o Brasil vive um momento econômico de crescimento. Isso impacta diretamente o cenário imobiliário, que se mostra mais promissor para novos investimentos, com taxas de juros mais baixas e expectativa pela melhora da oferta de crédito. Mesmo assim, há uma série de outros fatores que precisam ser levados em conta, o que leva muitas pessoas à famosa dúvida: é hora de comprar um imóvel?

A resposta é um pouco complexa. Afinal, estamos falando de um investimento alto que costuma comprometer boa parte das economias das pessoas. Para ter uma boa resposta, precisamos analisar alguns pontos importantes que compõem o cenário imobiliário atual.

O ciclo do mercado imobiliário

A melhor forma de analisar se realmente vale a pena comprar imóveis no atual cenário imobiliário é entendendo como funciona seu ciclo de mercado. Basicamente, são quatro fases que se precedem e sucedem progressivamente. A partir do momento que você consegue identificar por qual fase o mercado está passando, aumenta consideravelmente sua chance de realizar bons negócios imobiliários:

1. Boom: é a fase de alta do mercado imobiliário, marcada por uma economia aquecida e mercado de trabalho estável, com elevada taxa de ocupação, alto preço dos imóveis, normas de crédito relaxadas e baixa taxa de juros. Um exemplo é o período de 2008 a 2013, quando havia grande expectativa pelos eventos que o Brasil sediaria (Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016).

2. Excesso de oferta: essa fase vem depois do boom e se caracteriza pela oferta ser maior que a procura. As construtoras têm um alto número de empreendimentos no estoque. Assim, a taxa de ocupação diminui, a atividade de construção se desacelera e o preço dos imóveis cai, gerando diminuição do crédito e crescimento do endividamento.

3. Recessão: a oferta continua a crescer, a taxa de desocupação aumenta e os preços caem. Como consequência, acontece a restrição nas linhas de crédito e a queda na atividade de construção.

4. Recuperação: o setor volta a se expandir através de incentivos financeiros. As construtoras passam a investir novamente no setor, aumentando o número de lançamentos. Como a oferta continua alta, surgem boas ofertas e a taxa de desocupação começa a cair.

Normalmente, uma fase de baixa costuma durar 4 anos (8 semestres). Atualmente, passamos pela maior recessão do segmento no Brasil, com uma queda de 7% entre 2015 e 2016. Felizmente, essa fase já ficou para trás e, atualmente, estamos no período de recuperação. Ou seja, a chance de encontrar bons negócios imobiliários é grande.

Cenário imobiliário: expectativa de crescimento

Para termos uma ideia mais clara do atual momento imobiliário no país, é importante analisarmos as estimativas das entidades do setor. De acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em 2018 os lançamentos e as vendas de imóveis residenciais devem ter um crescimento de cerca de 10% em relação ao ano anterior.

O número é considerado bom, de acordo com especialistas, e poderia ser ainda melhor se a Reforma da Previdência já tivesse ocorrido. Mesmo assim, a taxa de 10% de crescimento representa um aquecimento do mercado, pois é superior aos números de 2017, que ficaram em 5,2% para lançamentos e 9,4% para vendas.

Fatores que incentivam a compra de imóveis

O otimismo de entidades do setor em relação ao atual cenário imobiliário tem um bom motivo. Alguns fatores contribuem para a previsão de crescimento nos próximos meses. Entre eles:

Queda na taxa de juros: a Selic, taxa básica de juros, caiu de 14,25% em julho de 2015 para 7% em dezembro de 2017, um número que incentiva a compra de imóveis, já que a cada ponto reduzido na Selic, a receita mínima exigida para o financiamento cai entre 6% e 8%.

Boas ofertas de preços: a recessão afetou bastante o cenário imobiliário nos últimos anos, causando uma queda na venda de imóveis, principalmente entre 2014 e 2016. Graças a essa queda na procura, hoje é possível encontrar ótimas ofertas para quem deseja comprar um imóvel.

Abertura da linha de crédito pró-cotista pela Caixa: nesse ano, a Caixa Econômica reabriu sua linha de crédito destinada a trabalhadores que tem conta no FGTS. Isso oferece uma opção em conta para quem deseja comprar imóveis e também ajuda o mercado a retomar a confiança, contribuindo para que mais instituições financeiras se sintam motivadas a oferecer linhas de crédito imobiliário.

Cenário Imobiliário: é hora de comprar?

Depois de todas essas informações sobre o momento do cenário imobiliário, podemos afirmar que sim, essa é a melhor hora para se comprar um imóvel. O mercado vive seu melhor momento em muitos anos em termos de opções e ainda é possível encontrar ótimas ofertas de preço e condições de pagamento graças à má fase iniciada quatro anos atrás. Ao mesmo tempo, o bom momento da economia favorece o surgimento de opções de financiamento e crédito imobiliário.

Por isso, se você finalmente decidiu aproveitar as condições do cenário imobiliário e dar o grande passo que é comprar o imóvel, temos algumas dicas:

• Faça uma reserva financeira de pelo menos 6 a 12 meses de salário para a compra.
• Leve em conta imprevistos que podem comprometer parte da sua renda (como doenças).
• Planeje-se: faça uma simulação no banco para ver quanto custariam suas parcelas e se você tem condições de pagar.
• Dê sempre o máximo que puder como valor de entrada para baratear as parcelas.
• Tenha em mente que você pode ter que abrir mão de muitas coisas para realizar seu sonho.
• Encontre uma construtora confiável para ter a certeza de um ótimo negócio.

Chegou a hora de realizar o grande sonho da sua vida? Então venha falar conosco. Aqui na Construtora Catarinense você encontra uma parceira confiável, com um extenso histórico de qualidade em empreendimentos de alto padrão, completos e cheios de conforto para você e sua família. Temos diversas opções de imóvel e oferecemos condições diferenciadas de pagamento para que você realize a grande conquista da sua vida da forma mais tranquila possível. Vamos fazer um ótimo negócio juntos!

Horário de Atendimento: Segunda à Sexta, 08:00hs às 12:00hs e das 13:30hs às 18:00hs.

Aos Sábados, plantão pelo telefone: (49) 9 9132 8044.